Prontos para enfrentar o mundo

Passo a Passo 101 - Assistência aos órfãos

Inclui estudos de casos, atividades infantis e uma entrevista comovente sobre como é crescer em um centro de acolhimento infantil.

prontos para enfrentar o mundo

Sarah Chhin

A Organização M’lup Russey está transformando a assistência às crianças e aos jovens vulneráveis no Camboja. Temos um grande entusiasmo pela promoção de alternativas para o acolhimento institucional de crianças e trabalhamos muito nessa área. Mas também reconhecemos que leva tempo para um orfanato fazer a transição e que as crianças precisam de apoio enquanto ainda estão em instituições.

O treinamento em habilidades para a vida ajuda os jovens a aprender a viver de forma independente depois de deixarem o acolhimento residencial. Foto: Organização M’lup Russey
O treinamento em habilidades para a vida ajuda os jovens a aprender a viver de forma independente depois de deixarem o acolhimento residencial. Foto: Organização M’lup Russey

Com medo do mundo exterior

Em 2007, os funcionários da M’lup Russey realizaram oficinas com mais de 500 jovens adultos que viviam em orfanatos. Todos falaram de seus medos quanto a deixar o orfanato. Eles tinham medo de acabar discriminados, vitimados, desempregados e desabrigados. Alguns tinham até medo de passar de fome. Eles temiam não possuir mais as habilidades para fazer parte de uma comunidade externa.

Infelizmente, há boas razões para esses medos. Sem uma preparação cuidadosa, os jovens adultos que deixam os orfanatos no Camboja têm dificuldade para se adaptarem à vida comunitária e familiar. Eles são extremamente vulneráveis à exploração, abuso e tráfico. Os orfanatos não eliminam sua vulnerabilidade: apenas adiam seus efeitos. Em muitos casos, essa vulnerabilidade aumenta por terem vivido em um orfanato.

A M’lup Russey apoia as crianças enquanto estão em centros de acolhimento residencial – mas nosso trabalho não termina aí. Fazemos tudo o que podemos para ajudar os jovens a serem bem-sucedidos em sua volta à comunidade quando deixam os centros.

Construção de relacionamentos

Primeiro, a M’lup Russey constrói relacionamentos com os diretores dos centros de acolhimento residencial. Nós os convidamos para eventos de treinamento para que eles possam melhorar sua assistência às crianças. Nós também os ajudamos a entender e aplicar a política de acolhimento alternativo do governo, que vê o acolhimento familiar como um modelo melhor. Ao longo dos anos, treinamos diretores de orfanatos em direitos da criança, proteção infantil, participação infantil, gestão da raiva, processos adequados de reintegração, gestão de centros, compreensão das necessidades de crianças e jovens, habilidades de liderança e muito mais.

Depois de construir relacionamentos com os diretores, a M’lup Russey pode começar a trabalhar com as crianças e os jovens sob seus cuidados. Oferecemos a eles a oportunidade de participar de grupos de apoio e de treinamento de habilidades para a vida. Estes ajudam os jovens a aprender as habilidades de que precisarão para se manterem seguros e serem independentes e socialmente incluídos quando deixarem os centros.

Clubes juvenis

A M’lup Russey ajuda os jovens a criar clubes juvenis em seus centros. As atividades dos clubes reforçam a autoconfiança, a liberdade e a capacidade de viver com segurança em uma comunidade no futuro. Os membros do clube de jovens elegem seus próprios líderes e decidem sua própria estrutura e horários. Os clubes dão-lhes uma voz no centro. Eles ajudam os jovens a se expressarem livremente e os preparam para a independência.

Tudo isso treina-os para serem líderes, facilitadores e membros de equipe responsáveis. Melhora também suas habilidades de comunicação e trabalho e ajuda-os a se relacionarem bem com outros. Graças à M’lup Russey, centenas de jovens já foram membros de clubes juvenis de orfanatos desde 2008!

Treinamento de habilidades para a vida

A M’lup Russey também oferece treinamento em habilidades para a vida e bolsas de treinamento profissionalizante para os jovens que vivem em centros. Estas oficinas são ministradas por profissionais e especialistas e abrangem tópicos mais aprofundados, como 

  • “conhecer a si próprio”;
  • habilidades de comunicação; 
  • vida segura na comunidade;
  • gestão da raiva;
  • saúde reprodutiva;
  • conscientização sobre as drogas;
  • finanças pessoais;
  • planejamento da vida;
  • definição de objetivos.

Apoio adicional

Estes serviços de apoio dão à M’lup Russey a oportunidade de construir relacionamentos fortes e de confiança com as crianças e jovens em centros de acolhimento residencial. A M’lup Russey pode, então, oferecer-lhes outros serviços, tais como aconselhamento e orientação jurídica, bem como apoio quando eles, um dia, deixarem o acolhimento residencial. 

Jovens participam de treinamento de habilidades para a vida em gestão da raiva. Foto: Organização M’lup Russey
Jovens participam de treinamento de habilidades para a vida em gestão da raiva. Foto: Organização M’lup Russey

Rede de ex-acolhidos

A M’lup Russey dirige uma Rede de Ex-acolhidos para jovens que deixaram o acolhimento residencial. Os ex-acolhidos podem participar de um pequeno grupo de jovens na mesma situação. Nas reuniões regulares dos pequenos grupos, eles podem compartilhar suas histórias e experiências da vida comunitária.

São realizadas também reuniões com grupos grandes, onde os grupos menores se reúnem. Isso oferece aos ex-acolhidos uma grande rede de pessoas com as quais eles podem formar boas relações. Através desta rede, os ex-acolhidos ajudam-se uns aos outros a se tornarem independentes e responsáveis por si mesmos.

Os ex-acolhidos encontram-se em uma posição única para ajudar outros que estão prestes a deixar os orfanatos. Eles visitam os orfanatos e compartilham suas experiências de vida na comunidade. Isso ajuda os jovens adultos órfãos a encarar o futuro com mais confiança. A M’lup Russey também fornece treinamento profissionalizante aos ex-acolhidos, permitindo-lhes ter uma vida independente e bem-sucedida. Finalmente, para os ex-acolhidos cristãos, a M’lup Russey dirige um grupo de estudo bíblico e oração.

Sarah Chhin é Assessora Técnica Estratégica da M’lup Russey.

M’lup Russey também oferece acolhimento familiar de emergência e serviços de reintegração familiar e ajuda os centros de acolhimento residencial em sua transição. Eles respondem aos pedidos de informações de qualquer pessoa interessada em saber mais ou que queira fazer um trabalho semelhante.

Site: www.mluprussey.org.kh
E-mail: info@mluprussey.org.kh 


Ideias sobre como usar este artigo

  • Em grupo, discutam o que vocês acham que funciona bem na abordagem da M’lup Russey.
  • Discutam como sua igreja, grupo ou organização poderia ajudar a apoiar as crianças e os jovens depois que eles deixam o acolhimento residencial. Por exemplo, existem redes de ex-acolhidos na sua região com as quais vocês poderiam ajudar os jovens a se conectarem?

Estudo de caso: a história de Pithou

Pithou cresceu em um orfanato em Phnom Penh, no Camboja. Aqui, ele fala o que pensa sobre aprender habilidades para a vida no orfanato:

“O aprendizado de habilidades para a vida mostrou-me uma nova maneira de viver. Antigamente, eu não me importava com meu futuro, porque tinha arroz suficiente para comer e um lugar para morar. Eu achava que não era bom nos estudos, e até mesmo minha mãe dizia que eu era meio burrinho.

Mas agora tive a oportunidade de expressar meus sentimentos e fazer amizade com outras pessoas que vivem em orfanatos. Vi dois desses novos amigos lendo e estudando muito. Então, comecei a me analisar atentamente e tomei a decisão de me comprometer a estudar mais para o meu próprio futuro e o futuro do meu país. Agora sei que todos nós temos um grande valor para nossa comunidade, sociedade e país.

As pessoas acham que os orfanatos dão às crianças tudo o que necessitam, mas não. As crianças de orfanatos não têm esperança, nem o amor de seus pais. O treinamento em habilidades para a vida tem sido muito importante para mim. Ele abriu meu coração e minha mente. Ele me ensinou a ser corajoso e dizer o que eu penso, o que eu não era capaz de fazer antes, pois me sentia fraco e amedrontado. Agora não sou mais uma rã dentro de um poço.”